Na maioria dos casos, gastos com o veículo decorrem da falta de manutenção que amplia desgastes, danifica peças ou partes mêcanicas e impossibilita o funcionamento do veículo. 

A manutenção preventiva envolve menor investimento e evita situação de constrangimento, insegurança ou gastos imprevistos devido a pane mecânica. 

Evite surpresas e custos elevados. Manutenção é sinônimo de economia. Fique de olho nos exemplos e dicas da Autocar:


1. CORREIA DENTADA: 

A troca de correia dentada deve ocorrer de acordo com a recomendação do fabricante (informada no Manual do Veículo). No caso de dano por desgaste, pode envolver um custo entre R$ 2.000,00 (veículos a gasolina) a R$ 6.000,00 (veículos a diesel). Quanto custa a troca preventiva??? Em torno de R$ 180,00 a R$ 300,00... Economia básica de 85% do seu dinheiro, sem considerar a indisponibilidade do seu veículo por uma semana... Vale a pena?Programe logo a verificação deste item no seu carro...

2. ÓLEO E FILTROS: 

A permanência de itens como: óleo de motor, óleo de freio, filtros de óleo, ar e combustível, por prazo superior ao recomendado pelo fabricante implica diretamente no funcionamento do motor e consequentemente, na segurança do usuário, considerando que são itens de fundamental importância na manutenção dos sistemas veiculares.



3. AR CONDICIONADO: 

Em função das atuais condições climáticas e pela própria segurança pessoal, tem sido comum o uso prolongado do ar condicionado veicular. Deve ser dada atenção especial à troca do filtro de cabine, obedecendo à periodicidade recomendada pelo fabricante (informada no Manual do Veículo). Sugere-se ainda, a higienização regular do sistema com foco na prevenção e eliminacao de ácaros, fungos e bactérias altamente prejudiciais à saúde. Dica custo zero: USE O AR QUENTE A CADA 15 DIAS PELO PERÍODO DE 15 MINUTOS A FIM DE PROMOVER A ELIMINACAO DA UMIDADE DECORRENTE DESTE USO CONTÍNUO. Veja mais detalhes sobre o assunto:
http://g1.globo.com/carros/noticia/2011/12/sujeira-no-ar-condicionado-do-carro-prejudica-saude-e-custa-caro.html

4. PNEUS:


Na troca de pneus, consideramos como regra de segurança manter os pneus mais novos na traseira do veículo com foco aderência e atrito adequados. Veja mais detalhes sobre o assunto:
http://revistaautoesporte.globo.com/Autoesporte/0,6993,EAD1596313-1683,00.html



5. BANCOS: 

Mesmo os revestidos de tecido sintético, que são bem mais resistentes, mancham. Vazamentos de produtos químicos, alimentos líquidos ou pastosos e barro encabeçam a lista dos maiores responsáveis pela sujeira. Para uma limpeza profunda, procure uma empresa de confiança para a lavagem. Os de plástico podem ser limpos com um pano úmido. Porém, é importante não deixar que a sujeira, ou a poeira em excesso, se acumule. Bancos revestidos de couro também necessitam de cuidados. Para limpá-los, use um pano umedecido. O couro de boa procedência é impermeável e não encharca, nem fica quebradiço com o tempo. O ideal é hidratar o couro com vaselina líquida a cada seis meses. Retire o pó e aplique a vaselina. Tire o excesso e espere três horas até o couro absorver o produto. Em regiões mais quentes e úmidas, essa manutenção deve ser feita a cada dois meses. Procure estacionar sempre à sombra, pois o sol tende a ressecar o couro, causando rachaduras irrecuperáveis em sua superfície. (Fonte: 4 rodas)

6. LATARIA: 

Nos carros atuais, ela já vem bem protegida de fábrica contra ferrugem e outros agentes nocivos ao metal. Também não é difícil conservar a lataria do veículo contra poeira ou barro. Contra acidentes ou vandalismo isso já é bem mais complicado. Riscos, batidas de porta em estacionamentos ou ainda pequenos amassados que aparecem por alguém ter encostado no carro acontecem com frequência. O mais importante é não deixar o conserto para mais tarde. Isso pode significar prejuízos maiores que os da batida. Pequenos retoques, “martelinho de ouro” e outros recursos são facilmente encontrados em serviços de reparos rápidos para resolver esses problemas. Procure fazer sempre, no mínimo, dois orçamentos antes de ordenar o serviço.

7. LIMPADOR DE PÁRA-BRISA: 

É um equipamento de primeira necessidade. Seu bom funcionamento é sinônimo de segurança, em dias de neblina ou chuva. Verifique periodicamente a pressão do braço do limpador, a borracha das palhetas (se ela passa e deixa marcas no vidro, está na hora de trocá-las), bem como o jato do esguicho de água do para-brisa.


8. LUZES: 

O bom funcionamento das luzes é fundamental em um veículo e pode evitar situações de perigo. E não só os faróis. Lanternas, piscas, luzes de freio e de ré, iluminação interna, luzes do painel, bem como a fonte de energia – a bateria –, devem ser constantemente checados para que não haja surpresas. No caso da bateria, observe se os cabos estão oxidados (geralmente há o acúmulo de um pó pastoso esbranquiçado), ou se estão frouxos ou soltos.

9. PINTURA:

A pintura lisa ou sólida é a mais comum (e mais barata) e usa apenas pigmentos de cores. Utiliza-se laca ou esmalte para essa camada. Na pintura metálica, a tinta recebe a chamada carga de efeito, ou seja, laca acrílica e pigmentos de alumínio que deixam a superfície brilhante. A pintura perolizada leva pó de pérola e pigmento de mica (de origem mineral), que tornam as cores mais intensas. Embora a formulação das tintas tenha evoluído consideravelmente nos últimos tempos, tornando a superfície pintada mais resistente ao ataque de produtos químicos, certos cuidados devem ser tomados para mantê-la em ordem. Lave sempre que pegar poeira ou barro, após transitar em estradas de terra ou sob chuva. Não utilize querosene nem solvente. O ideal é usar um detergente bem suave, lavando e enxaguando rapidamente toda a superfície. Não deixe secar ao sol. Encerar e polir com regularidade, no mínimo a cada 90 dias, é importante para conservar a pintura e a boa aparência.